PUBLICIDADE:

ComunicArt

bomneg

Nos últimos dias, todos nós ficamos de certa forma ‘surpresos’ com a notificação do CONAR (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) ao anunciante BomNegócio.com em relação ao comercial do Compadre Washington, campeão de audiência na web e que tomou conta dos posts do facebook e rodas de conversas, entrando pra lista dos bordões brasileiros.

Para entender melhor, o CONAR é um órgão que funciona como orientador ás campanhas publicitárias. Ele recebe denúncias e críticas de membros da sociedade, profissionais de comunicação e empresas a respeito de propagandas publicitárias da TV ou Internet e notifica o anunciante responsável, que conta com alguns dias para retirar ou adequar o conteúdo.

O comercial em questão, faz parte de uma série muito bem sucedida do site BomNegócio.com e o trecho vetado é o que o personagem principal diz a palavra ‘ordinária’ fazendo referência a mulher que aparece na cena. Segundo o CONAR, mais de 50 denúncias foram detectadas alegando que o conteúdo seria ofensivo e denigre a imagem da mulher.

Opiniões a parte, é fato que a empresa anunciante terá que retratar ou retirar o conteúdo do ar. Mas, essa não foi a primeira advertência a um conteúdo publicitário. As ações do CONAR são mais comuns do que você imagina. Sabia disso? Vejamos alguns exemplos famosos no Brasil e no mundo:

  • Pôneis Malditos

A propaganda da Nissan de 2011, sucesso de visualizações na Web, foi notificada pelo órgão por fazer associação de elementos do universo infantil, os pôneis, com a palavra malditos e a maldição apresentada no final do comercial.

  • Veloster

O famoso carro de 3 portas teve seu comercial de lançamento banido na Europa. O motivo é que o comercial fazia alusão a morte. Na propaganda, a ideia era mostrar que em um carro de 4 portas a pessoa correria mais risco de morrer ao abrir a porta do lado da rua e a personagem da ‘morte’ é representada no filme, segundo denúncias, incutindo o medo aos telespectadores.

  • Couro Fino

Um caso mais recente, em 2013, deu o que falar. A marca de sapatos cearense errou ao lançar uma campanha para o Dia das Mães utilizando imagens de uma criança com elementos adultos. Nas imagens, a garota aparece maquiada e usando sapatos que seriam da mãe. As imagens foram acusadas de erotizar a imagem da criança que aparece de calcinha e em poses sensuais.

12_16_39_672_file

  • Claro

Outro exemplo recente da propaganda brasileira é o filme do Claro Fixo, onde o ex-jogador Ronaldo passa um “trote” para o jogador Neymar mais de uma vez, com o objetivo de dizer que o pacote é muito barato e permite muitas ligações. Segundo denúncias, ele promove a prática do trote entre os telespectadores.

E você, concorda com essas punições? Comente a sua opinião ou outros cases de propagandas analisadas pelo CONAR.

Sobre Tamirys Rodrigues

Visualizar todos os posts

Profissional da área de Comunicação, com experiência em processos de Planejamento Digital, Marketing Digital e Produção de Conteúdo Interno. Cursando o último ano de Publicidade e Propaganda, na execução do TCC para o cliente real Netshoes. Formação técnica completa em Marketing, além de curso especializante em SEO pela Escola de Marketing Digital Internet Innovation.

Você pode gostar desta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



PUBLICIDADE:
Parceiros