PUBLICIDADE:

ComunicArt

Nessa quarta-feira (14) o publicitário Nizan Guanaes deu uma lição de como mudar o mundo com a publicidade. A palestra ocorreu na Universidade Positivo, inaugurando a nova Escola de Comunicação e Negócios.

Em sua palestra, Nizan abordou assuntos voltados à publicidade e a vida:

A publicidade na cultura popular

“Faça o tipo de publicidade que vai ser lembrada em uma festa de aniversário”. Um dos principais conceitos discutidos em sua conversa foi a de que uma boa propaganda é aquela que faz parte do imaginário brasileiro, como foi a campanha dos Mamíferos da Parmalat, criação de sua agência DM9.

Papel da publicidade em um mundo global

Como muito dos clientes eram patrocinadores da Copa de 2014, Guanaes falou sobre como as manifestações de Junho do ano passado acabaram criando um momento “anti-copa”. Assim, ele mostrou que não devemos abaixar a cabeça para as dificuldades e sim enfrentá-las. E foi o que fez quando criou o anúncio da sua agência África com o termo “A Copa das copas” que acabou viralizando no decorrer do evento, dando um novo animo.

Com isso, ele incentivou os presentes a utilizar a publicidade não só como um método de venda, mas sim como uma ferramenta para levar coisas novas e diferentes ao público. Para isso, é preciso que a publicidade não seja mais só criativa, e sim inovadora e surpreendente.

A cultura do startup

O que você está fazendo para mudar o mundo? Ao falar sobre uma de suas viagens a Califórnia, considerada por ele a Bahia dos bilionários, e de como os jovens trabalham em conjunto com empresas e universidades para desenvolver algo que mude o mundo, Nizan falou sobre a importância da propaganda interagir com o mundo, inovando e surpreendendo.

Dono do Grupo ABC de Comunicação, Nizan Guanaes possui agências em diversos países e por isso ressaltou que como publicitários, devemos pensar globalmente. Por isso é importante viajar, perder o medo do mundo e aprender o máximo sobre o mundo digital. Para Nizan a viagem é pedagógica, é um modo de você absorver outras culturas, ter novas referências e ideias novas, por isso viaje, seja lendo um livro, navegando na internet ou até mesmo na maionese.

10504969_786211444763646_2968353104739795422_o

Imagem: fanpage da Universidade Positivo | Publicidade UP


Seja singular

Não basta ter talentos, você tem que ser esforçado e focado. Para Nizan, se você quer ser uma pessoa bem sucedida você deve ter repertório, viajar e principalmente, enfrentar os seus erros.

Depoimentos

Para comentar sobre essa incrível palestra, conversamos com dois dos mais influentes profissionais do mercado aqui de Curitiba:

Cícero Rohr – Diretor de Atendimento da Master Roma Waiteman e Presidente do GPA

Muito bacana a presença do Nizan aqui e mais ainda o papo com ele. Foi mesmo um papo, não uma palestra – ele só projetou um slide. O papel e a relevância dele vão muito além do mundo da comunicação e várias coisas que ele disse nessa noite são pra vida, e não apenas pro trabalho.

Marcos Giovanella – Diretor de Mídias Sociais e Internet da Prefeitura de Curitiba

Ver e ouvir um cara como o Nizan falar traz uma série de sentimentos. Algumas palavras chamam mais atenção, como por exemplo, o foco no digital, estamos em um mundo “novo” e que tem uma série de oportunidades. Outra coisa muito importante que ele falou foi “mexer com a cultura popular” e isso significa entendimento de pessoas, isso é colocar o público no centro da comunicação e obriga a campanha a usar uma linguagem próxima das pessoas. Quando você consegue tocar as pessoas nesse aspecto, significa que você está construindo marca.

E assim como eles, o time ComunicArt também tem um comentário sobre a palestra:

Ele nos mostrou que não podemos pautar a nossa vida, nem a nossa carreira pelo dinheiro. Precisamos amar o que fazemos sempre buscando nossos sonhos de acordo com o que podemos. Precisamos perder o medo do mundo e tentar fazer a diferença do nosso jeito. Se pudermos mudar alguma coisinha do mundo através da publicidade, precisamos tentar. A propaganda pode ir além dela. E nós temos capacidade de tornar isso realidade, nossa geração é forte e cheia de ideias. Além disso, ele nos incentivou a não ter medo de errar e nem ficar com medo de ficar perdidos, essas coisas acontecem, ainda mais na nossa idade. Apenas não podemos desistir e se nós formos errar, que seja rápido.

Veja a palestra completa aqui.

Saiba mais sobre Nizan Guanaes em seu livro Enquanto eles choram, eu vendo lenços.

Créditos: Guilherme Costa, Êmilly Lehmkuhl, Carolina Zattar e Bruno Bardella.

Sobre Equipe ComunicArt

Visualizar todos os posts

Perfil do galinho, utilizamos para posts em que a equipe (em grande maioria) participou da publicação. Como por exemplo esta acima.

Você pode gostar desta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



PUBLICIDADE:
Parceiros